12.4.11

Pedro subornando Jesus?


- Alô! Oi Rosa.
- Conversei a pouco com a Aninha. Ela queria saber sobre “superstição”.
- Ouvi a conversa Mano. Ela saiu. Liga daqui meia hora.
- Vou escrever-lhe um e-mail. Lembranças pro João!

“Oi Ana! Abre tua Bíblia em Lucas 18.28-30. Dá a impressão que Pedro está expressando “pensamento supersticioso” – não verdade? Carrega-se a impressão que os discípulos fizeram um “sacrifício” para seguir seu Mestre. Parece que Jesus Cristo esteja se prestando a fazer “negócio” com os discípulos.

Nada disso! Os discípulos têm grande devoção por Jesus. Não existem “segundas intenções” nas suas palavras. Não há nenhum resquício de qualquer idéia de que estejam almejando algum “presente”. Eles confiaram; se “jogaram de cabeça” no “colo” do Filho de Deus. Não lhes passou pela idéia a conquista de algum “lucro” com aquela decisão.

Mas que fique bem claro: Quem, desde o início, espera por alguma recompensa da parte de Deus está, na realidade, querendo subornar Deus; está dando claras mostras que não confia em Deus e que, portanto, é supersticioso. Beijo!”

Acanoados na magia!


O telefonema da minha sobrinha me fez pensar sobre o assunto “superstição”. É assim que hoje muitos jovens misturam conceitos de fé com idéias exotéricas. Agindo assim, buscam saber sobre o futuro a partir da magia, da astrologia, das cartas de tarô, do ocultismo, da terapia com pedras, dos curandeiros espirituais, da clarividência e outros.

Na Alemanha, de cada sete pessoas, uma se envolve com magia e bruxaria; de cada cinco, uma crê na reencarnação; de cada três, uma entende que o futuro pode ser sabido. Aqui no Brasil estes números são maiores e a prova disso são as nossas livrarias. Nelas, as prateleiras especializadas em tais assuntos ocupam duas, três vezes mais espaço do que para os temas religiosos.

Porque é que a superstição se enraíza tanto entre nós? Ora, a magia é a rejeição da onipotência de Deus e aí só vale a pessoa. Acanoados nessa idéia são muitos os que buscam a autodeterminação que, no final das contas, capturará com novas regras; com cartas; com novas leis ditadas pelas estrelas; com pêndulos; com dúbios livros milenares. Ai que tristeza!