Busque Saber

31.7.09

Edson Saes Ferreira


Isso foi em 1980. Eu estava chegando e ouvi gostosas gargalhadas dentro do minúsculo gabinete onde tentava dar conta do meu estágio. Meu monitor, uma liderança da Senhor dos Passos e o Edson Saes Ferreira lembravam dos tempos da Facteol e, no meio da “farra amiga”, faziam referência ao Prêmio Nobel de Literatura Alexandre Soljenítsin... Os tempos ainda eram meio “bicudos”.

Fui agir como pastor no Noroeste do Paraná. O colega veio evangelizar na nossa Paróquia. Ainda nos anos 80 fomos colegas evangelistas da IECLB. Quantos encontros, quantos sonhos, quanto diálogo. Alguma coisa daquilo tudo vingou. A vida foi rolando e num instante nos vimos colegas em Florianópolis. Afiamo-nos como dois ferros se afiam (Provérbios 27.17). Completamo-nos enquanto o nosso chamado se desenrolou em conjunto. Quando vim de longe, visitei-o duas ou três vezes e ele articulava o Sínodo. Acompanhei-o quando da sua estada na UTI do Hospital Universitário. Nos últimos trinta meses trocamos algumas novas figurinhas.

Neste momento corre a notícia de que ele foi pego por um AVC. Imagino seu peito apertado e seu coração trôpego. Seus pensamentos devem estar voando pelos mil espaços percorridos, pelos mil diálogos entabulados, pelas mil circunstâncias administradas, pelos mil momentos de aprendizados sofridos. Sinto que gostaria de dirigir à palavra a nós, mas não pode. As paredes hospitalares o impedem.


Conheço-o e sei que está orando! Creio que Deus ouve e reage à sua oração pensada. Que tal “gritarmos” a Deus por ajuda? O salmista disse: “Invoca-me no dia da angústia: eu te livrarei, e tu me glorificarás.” (Salmo 50.15) Estou fazendo isso enquanto penso em você companheiro...

22.7.09

Alegria!


Alegria - boa esta palavra. O ato de alegrar-se é ativo. Eu sou quem decido se vou ser alegre ou não. Eu não sou alegrado, mas eu me alegro! A experimentação da decepção, do desprezo, do medo, de ser presenteado, de ser querido e até amado é passiva.

A alegria constrói boa base para a vida de uma pessoa. Já perceberam como as pessoas alegres sempre se mostram bem? Este estado de espírito mexe positivamente com quem está próximo. Ouse sorrir para alguém! É quase impossível pensar na possibilidade de que o sorriso dado não seja correspondido. Creia! Faça o teste... Ver o que os outros fazem com os olhos críticos gera desgaste em mim. Já olhar as coisas que acontecem com bons me constrói.

A alegria influencia a nossa alma e o nosso corpo. Um estudo sustenta que posturas antipáticas causam mais enfartes do que sobrepeso; fumo ou pressão alta. Em contrapartida, a alegria promove a saúde física e mental, espiritual. Ela gera qualidade de vida e aproxima os indivíduos entre si.

8.7.09

Julho de 1982!


Nestes dias está fazendo 27 anos que nos informamos como pastores da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil. Lembro dessa foto. Estávamos posicionados na escadaria que levava ao palco de teatro do Colégio Sinodal, no Morro do Espelho, em São Leopoldo (RS).

Na platéia estavam os nossos familiares e todos os nossos professores. Lembro que meu filho mais velho, o Àquila que, carregando seus dois aninhos corria lépido pelos corredores do salão, sem se importar com o barulho que fazia. Nos nossos corações palpitava desejo muito grande de servir nossa Igreja em todos os cantos e recantos do Brasil.

Dois dias depois acabei embarcando, de mala e cuia, para Cianorte (PR). Fomos morar na Avenida Mato Grosso, 1046. Foi lá que a Valmi e eu iniciamos nossa vida no pastorado. Ainda lembro com saudades das amigas e dos amigos que cunhamos naquela cidade e em outras tantas do Noroeste do Paraná.
Ainda cito as cidades de Querência do Norte, Paranavaí, Cidade Gaúcha e Umuarama e, assim, penso estar contemplando todas as outras daquela região com todo o meu carinho. Saudades daquela gente boa!

OLHA SÓ!

  A BAILARINA DE AUSCHWITZ Outro dia, após repartir algumas dificuldades com uma amiga, fui desafiado a ler o livro “A Bailarina de Auschwit...