Busque Saber

30.8.09

Lilli Marie!

Olha que coisa mais linda, mais cheia de graça
Schau mal was ein schönes Mädchen, Sie strahlt ja so viel,
É a Lilli Marie que já nos abraça
Unsere Lilli Marie umarmet uns schon
De colo em colo ensinando amar
Um Liebe uns lehren es ist wunderbar…

Hoje é o teu batizado e vais ser marcada
Heute wirst du getauft, wirst auch gekennzeichnet
Co´a cruz de Cristo, é a vida que pulsa
Mit Christus Kreuzes, das Leben ist da
E que te integra no Reino de Deus
Und integriert dich im Reich Gottes jetzt

Anne e Tobias
Anne und Tobias
Pais tem autoridade
Eltern haben Autorität
Que se resume em serviço
Die mit Arbeit zu tun hat
Inclinar-se é igual a doar-se
Sich bogen ist von sich geben
Isso é o que cabe a voçês
Das ist eure Aufgabe

Lilli Marie te levanta, te acorda pra vida
Lilli Marie steht auf, erwach dich fürs Leben
O mundo te espera de braços abertos
Die Welt kommt zu dir mit offenen Armen
E te desafia a viver o amor…
Und wartet dass du auch die Liebe lebst...

19.8.09

Retrato


Dia ensolarado e quente.
Eu na rua, no batente
E lá veio você,
Assim, bem de repente.
Linda, elegante, sempre evolvente
Rosto umedecido e corado
Retrato que, só, guardo extasiado.

11.8.09

Vladivostock


Estávamos hospedados num pequeno quarto. O pingo que pingava da velha torneira já escurecera o fundo da pia com seu pingar. Ouvi-o durante toda a madrugada. A manhã cinzenta contrastou com a euforia dos futuros amigos. O povo tinha viajado dois, três, cinco mil quilômetros para tomar parte no retiro anual promovido pelo amigo Brookmann. Pedia-se pressa para não perder o ônibus.

O café foi com ova de peixe. Falava-se russo à mesa. O casal de missionários americanos falava inglês. Trataríamos do tema “crendices” em alemão. O ônibus no qual viajamos não tinha marca e os seus 45 bancos estavam ocupados por pessoas sedentas da Palavra de Deus. No corredor iam os mantimentos e um cão educado. O retiro teria a duração de 17 dias. Já nós teríamos que sacolejar 500 quilômetros para chegarmos ao destino.

Doze horas de viagem depois estávamos exaustos e cobertos de poeira vermelha. Lembrei da minha Tenente Portela dos idos de 1959. Ah um banho! Mas onde estavam os banheiros? Simplesmente não os encontramos e ninguém sabia nos explicar nada. Sim, havia um lago nas imediações, mas sua água era geladíssima. Banhei-me nele, tremendo de frio. Enquanto isso as pessoas sorriam sorrisos abertos...

10.8.09

Depressão

Quando alguém vive sob o predomínio anormal de muita tristeza então se diz que a depressão se instalou naquela pessoa. Todas as pessoas, homens e mulheres, de qualquer faixa etária, podem ser atingidas por essa doença. Sabe-se que as mulheres são duas vezes mais afetadas que os homens e que nas crianças e nos idosos essa doença tem suas características particulares.

Ouve-se dizer por aí que as pessoas cristãs não podem experimentar depressão, ter a sensação de estar diante de um abismo escuro. Outro dia ouvi da boca de uma pessoa querida que pessoas depressivas têm pouca fé. Que elas experimentam este estado de espírito porque relaxaram na questão da oração; porque não se esmeraram na luta contra a depressão. É errado pensar assim!

A Palavra de Deus, inúmeras vezes e com muita abertura, trata do tema da “depressão”. Nenhum dos grandes nomes da Bíblia como Abraão, Jacó, Moisés, Elias, Pedro e Paulo escaparam de vivenciar “dias escuros” em suas vidas. O próprio Filho de Deus não foi poupado deste sentimento de profunda solidão e de falta de esperança quando esteve no Gólgota.

Não! Deus não reprova o estado de espírito de quem sofre depressão. Deus não articula nenhuma crítica aos seus queridos que sofrem desse mal. Deus não precisa repreender as pessoas que sofrem de depressão. Ele também não desafia estas pessoas a estudarem mais a Bíblia. Nada disso! Assim como Deus incentivou o profeta Elias (1 Reis 19.4-8) com o envio de um anjo para despertá-lo; para lhe oferecer pão; para lhe alcançar água; para lhe abrir a possibilidade de novas perspectivas e para lhe deixar claro que ainda era útil, Ele também quer nos incentivar a fazer o mesmo com quem sente a mesma dor e caminha do nosso lado.

Quem sofre de depressão não está sozinho. Milhares de pessoas experimentam estes sentimentos que não têm absolutamente nada a ver com falta de fé; com falta de oração. Elias não estava no fim de suas forças porque não cria mais em Deus e sim porque tinha doado todas as suas forças em prol do seu engajamento na proposta de Deus. Mas esta história não precisa terminar aqui. Repito: Tu e eu, nós podemos ser “anjos” de pessoas que sofrem de depressão. Como? Animando, dando pão, possibilitando uma nova visão, promovendo engajamentos...

OLHA SÓ!

  A BAILARINA DE AUSCHWITZ Outro dia, após repartir algumas dificuldades com uma amiga, fui desafiado a ler o livro “A Bailarina de Auschwit...