19.9.11

Água doce - água viva!


Em 2011 a Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB) decidiu refletir o tema “Paz na Criação de Deus - Esperança e Compromisso” e o tema “Glória a Deus e Paz na Terra” (Lucas 2.14). Em março deste ano, o Grupo da Legião Evangélica da Paróquia São Mateus (LELUT), composto de treze homens (todos na faixa de 60 a 80 anos de idade) passou a estudar este assunto. Os primeiros dois capítulos de Gênesis nos fizeram entender que o “Jardim do Éden” (Jardim da Felicidade) foi criado por Deus com “doçura” e “fertilidade”; que Deus fez sair desse “jardim” a água que agoa o mundo e que, hoje, infelizmente, este “jardim” tem suas portas fechadas. Nós, no entanto, desejamos retornar às nossas origens. Foi por isso que “mergulhamos” no assunto.

Aprendemos que a água doce pode “sequestrar” tanto ou mais gás carbônico do que as florestas, ou seja, que ela contribui para o controle das mudanças climáticas; que o Brasil é dono de 11% de toda a água doce do planeta e que, por isso, nossa nação está sendo considerada a “potência hídrica” do século 21; que a água escondida no nosso chão é um “tesouro”, um “grande bem”, que está sendo desperdiçado por culpa do consumo inconsciente da nossa população e pela falta de infra-estrutura que nosso Governo disponibiliza para gerir este recurso.

Vimos que se conseguíssemos concentrar toda água doce existente no mundo numa laranja, então esta água corresponderia a uma gota. Assustamo-nos com alguns números: um habitante da Alemanha, por exemplo, consome, em média, 130 litros d’água por dia; um morador dos EUA consome 382 litros diários; já um paulista consome 189 litros. Assim concluímos que se quisermos cuidar da água do planeta, precisaremos ter atitude: reusarmos nossa água; captarmos água da chuva para aproveitamento da mesma em fins não potáveis; contribuirmos com o meio ambiente, disseminando, por meio da prestação de serviços e testemunhos o seu uso consciente.

Ao cabo de algum tempo decidimos fazer algo prático, no sentido de poupar água; de ajudar a natureza. Decidimos então criar uma “ESTAÇÃO ECOLÓGICA PARA CAPTAÇÃO DA ÁGUA DA CHUVA”. Colocamos a mão na massa. A chuva fina não teve força para apagar a nossa vontade de agir. A primeira manhã e a tarde terça-feira foram ocupadas com a manufatura da “caixaria”. Quando foi quarta-feira pela manhã, o sol ainda continuava escondido e a chuva persistia. Mesmo assim se deu “duro”: Misturamos mais de dez carrinhos de brita; de areia e muitos sacos de cimento – tudo na mão. A quinta-feira testemunhou mais esforço. Colocamos o “monstro cinza” na sua “cama” e fizemos todas as instalações hidráulicas. Aí damos tempo ao tempo. Hoje está tudo pronto. O fato é que os aposentados da LELUT contribuíram com os dinheiros de suas aposentadorias; doaram dos seus serviços e, hoje, a referida “estação” já está em uso. Todas as calçadas da nossa Paróquia São Mateus já são sendo lavadas com esta água coletada de uma das “águas” do nosso telhado.

Inauguramos a mesma no nosso Culto do dia 18 de setembro, 09h da manhã. No início todos os homens trouxeram as ferramentas usadas no serviço e as depositaram sobre o altar. Havia muitas irmãs e irmãos presentes no Culto. A prédica versou sobre a “água”. No final aconteceram algumas falas: O presidente do Sínodo Norte Catarinense (SNC), sr. Elemer Kroeger animou-nos a divulgar este testemunho, fruto palpável da reflexão proposta pela IECLB. O Sr. Ivo Ritzmann, representante da Diretoria da Comunidade Evangélica Luterana de Joinville – UP (CEJ-UP) nos parabenizou pelo projeto. A presidenta da Paróquia São Mateus, sra. Sandra Meier, ressaltou a importância desta obra dentro do nosso contexto mundial. Havia brilho nos olhos da Comunidade reunida – sementes de esperança brotando...

Saímos da Igreja e fomos receber a bênção ao lado da referida “Estação Ecológica”. Dali fomos enviados aos nossos lares para celebrarmos a vida, nunca nos esquecendo do mandado de Deus: Somos “administradores” da Sua obra neste mundo; obra esta que carece de continuar sendo criada; cuidada; querida!... Que Deus nos abençoe!

Nenhum comentário: