17.9.11

Profeta Jeremias - um operário de Deus!


Ontem à noite, depois de assistir o Jornal na TV, fui visitar o Nestor. Para surpresa minha, ele estava assando um churrasco. Que cheirinho gostoso. Confesso que lutei muito com a água que brotava na minha boca. Foram bons os momentos de comunhão. Depois de tudo sentamos no sofá. Nosso diálogo foi excelente.

- Sabe pastor! O Brasil se prepara para a Copa do Mundo de 2014. Os Canteiros de Obras começam a se multiplicar em todo o país. Quanta transformação já estamos experimentando!

- Verdade Nestor! Crateras estão sendo cavadas. Pontes e viadutos estão sendo edificados. Terrenos estão sendo aplainados e aterrados. Árvores estão sendo cortadas e outras plantadas. Tem muita gente dando “duro” na construção civil. É que tudo precisa contribuir para a beleza da Festa que se aproxima.

- Ainda ontem eu estava conversando com a Édina. Faltam três anos para deixar tudo pronto. Até lá esse nosso povo vai precisar trabalhar arduamente, demolindo; escavando; quebrando; dinamitando; consertando; corrigindo; plantando...

Nossa conversa foi quebrada pela minha esposa, a Valmi, que apontou para o relógio. Já passava das 23h. Despedimo-nos e fomos para casa. Antes de deitar, ainda dediquei alguns minutos para refletir sobre o texto de Jeremias 1.1-5 onde se lê sobre um “construtor” muito jovem que foi “requerido” por Deus para “construir” uma “obra” que encaminhasse a um futuro melhor. Sim, essa conversa com o Nestor e sua esposa seria uma boa idéia para perseguir na elaboração do meu texto...

- Valmi! Podes vir aqui no meu gabinete um instantinho?

- Oi! O que é?

- Escuta isso: Jeremias recebeu o “mandado de Deus” para arrancar o egoísmo do coração humano; para derrubar os muros de hostilidade que separam as nações; para destruir a injustiça e a corrupção dos governantes da sua época; para acabar com as diferenças existentes entre os ricos e os pobres; para construir a paz e justiça em seu país; para plantar o amor no coração das pessoas.

- Marido! Com certeza isso não foi tarefa fácil pra ele.

- Não foi não! O Jeremias fez fez de tudo para cair fora do tal “projeto”. Argumentou que era muito jovem para esse trabalho; que não era bom de discurso e que, por isso, minguém o levaria a sério. Que queria mesmo era ficar de fora, só assistindo...

- E Deus aceitou seu desejo?

- Claro que não Valmi! Deus lhe disse: - Jeremias, tu tens capacidade para fazê-lo. Vamos! Te “reveste” de coragem e assume esta tarefa porque Eu vou te ajudar!

- Interessante!... Lamento Renato. Estou cansada e não posso te ajudar no momento. Vou me deixar surpreender pela tua prédica no domingo. Já vi que estás bem aceso. Eu vou dormir. Boa noite...

A Valmi sumiu pela porta. Já eu me deixei levar pela reflexão. Jeremias ouviu a Palavra de Deus e reagiu. Começou a trabalhar com paixão. Por um lado, lamentou a injustiça que grassava em seu país, mas, por outro, lutou contra a opressão que o governo fazia sobre o seu povo; denunciou a falta de compromisso com Deus e, junto, consolou a sua gente. Sim, Jeremias entendeu que Deus não o deixaria só; que Deus iria fazer acontecer um “novo tempo”; que Deus iria mudar toda aquela conjuntura e que isso seria para já!

Acomodei-me na minha cadeira giratória e soltei meus pensamentos. Mudar o mundo... Que “projeto de vida” esse do Jeremias. Não, isso não foi uma tarefa fácil como bem tinha sugerido a Valmi. As verdades que ele precisava dizer nunca eram bem aceitas pelos que as ouviam. O que Jeremias tinha a dizer machucava os ouvidos de muitos conterrâneos que se sentiam ofendidos; desinstalados até com aqueles verbos. Vai daí que suas palavras duras faziam com que os “tocados” reagissem com ridicularizações; com gozações e até com peseguições. O fato é que Jeremias não arredou o pé. Continuou a sua “obra” movido pela “força” oriunda da sua crença. Em algum momento haveria de acontecer um mundo melhor para se viver - pensava.

Foi nesse instante que a Irma entrou no MSN....

- Oi Renato! Ainda acordado?

- Sim Irma! Trabalhando o texto que vou apresentar por ocasião do nosso encontro da Missão entre Universitários amanhã à noite. Vou falar sobre Jeremias, o moço que Deus separou desde o ventre de sua mãe para um “servicinho” especial...

- Legal! Não quero te atrapalhar...

- Atrapalha não querida Irma! Estou vendo aqui no meu estudo que o nosso mundo precisa ser melhorado, tal como o mundo dos tempos do profeta foi. Como ontem, também hoje estamos carecendo de profetas; de pessoas que se coloquem à disposição para, juntas, construírem um futuro melhor para nós.

- O que é que um profeta dos tempos modernos tem a fazer; quem seriam estes profetas de hoje Renato?

- Olha Irma! Creio que hoje, um profeta tem a tarefa de acabar com os preconceitos existentes. Ele poderia, por exemplo, ser o menino que convida o seu vizinho mais pobre para brincar. Creio que hoje, um profeta tem a tarefa de destruir o ódio. Ele poderia, por exemplo, ser aquele que escreve um cartão de aniversário para a parente que, depois da briga pela herança, jurou não trocar mais uma palavra que seja com os da sua família. Creio que hoje, um profeta tem a tarefa de construir pontes. Ele poderia, por exemplo, convidar o vizinho que recém chegou de mudança para uma xicara de chá ou de café. Creio que hoje, um profeta tem a terefa de plantar amor. Ele poderia, por exemplo, ser um pai que doa tempo e leva seus filhos a sério. Que tal?

- Entendi pastor! Então um profeta moderno se assemelha a um profeta da antiguidade?

- Na mosca Irma! Construir e destruir; edificar e derrubar; depois plantar, sempre com vistas num caminho que visa futuro melhor – essa é a tarefa a ser desincumbida também pelos profetas de hoje. Hoje, tal como antigamente, esta tarefa continua sendo árdua. Aqui e ali, de repente, tu e eu poderemos ser acusados de tolos – se nos engajarmos.

- Eu não tenho tanta experiência como tu, mas percebo que há pessoas que ainda continuam a se doar na construção deste “bom caminho”. Elas fazem isso porque acreditam num mundo melhor, não apenas na vida após a morte, mas num “espaço mais integral”, já aqui e agora na terra.

- É isso que me anima Irma. Hoje, tal como antigamente, cada um de nós pode vir a ser um profeta; uma profetisa. A idade e a educação não importam. O que importa é se ser senhor de uma grande porcentagem de confiança em Deus e, junto, de um forte desejo de se querer mudar alguma coisa neste mundo...

- Veja só! Então não só o mundo da Bíblia careceu de profetas. O mundo onde vivemos também carece. Joinville carece. A Paróquia São Mateus carece de gente chamada por Deus que pense, que fale, que diga, que aja e que se doe para cumprir o chamado de Deus de continuar transformando os Seus projetos de paz; amor e perdão.

- Isssssso Irmaaaaa! Eis nossa tarefa: Acreditar num mundo melhor e, com nossas próprias mãos, movidas pela nossa clara reflexão,começar a construir uma estrada que leve até lá.