Busque Saber

26.12.06

Última Noite!

São 22h e 10min deste 26 de dezembro de 2006. Faz quase seis anos que aqui chegei. Neste momento me encontro um tanto cansado de empacotar. Amanhã, bem cedo, carregaremos nossos pertences num caminhão que, logo depois, seguirá para Hamburg. Interessante isso! Foi desta cidade que meus antepassados partiram há exatamente 120 anos atrás. Por aqui, tentei melhorar, ajardinar pelo menos um cantinho do mundo. Para tal, sempre tentei usar a ferramenta da "palavra" falada e escrita. As vezes carrego a impressão que também luto contra "moinhos de vento".

Lá no fundo, na última janela da direita, logo abaixo do telhado, vi a neve caindo. Observei as primaveras e os outonos alemães. Vi pássaros construindo ninhos e, enquanto isso, me deliciei com seus "cantos" afinadíssimos. Foi dali que, olhando o caminho que conduzia à Gabelsbergerstraße, ousei sonhar meus próximos sonhos. Ficarei com saudades da Markuskirche que resistiu a bombardeios e que, hoje, ainda congrega filhas e filhos de Deus. Agora eu vou prá Joinville - tschau! Me sinto forte. Tenho muito o que repartir. Vou feliz! Viajo contente! Carrego muitas sementes...

22.12.06

O Verbo se fez carne!!

"E o Verbo se fez carne e habitou no meio de nós..." (Jo 1.14)

Deus vêm até nós. Como ontem, ainda somos muitos os que, hoje, O procuram em lugares errados. Será que não deveríamos lançar nossos olhares sobre um ou outro muro que ladeia nossas calçadas? Há tantas choupanas crescendo na periferia... Penso que a Luz de Deus pode bem ser percebida nas pessoas simples que até caminham do nosso lado. Obrigado Wolfgang Schürger pela tua mensagem e pela pintura do Ulrich Martini que, por minha vez, também repasso àquelas e àqueles que me são próximos. Feliz Natal gente querida!

17.12.06

Alegria!


A alegria é um bichinho,
(Die Freude ist ein Tierchen,)
engraçadinho,
(das ganz süß ist,)
entocado dento do meu peito.
(und innerhalb meiner Brust wohnt.)

Quase sempre é moleque,
(Fast immer ist es in Bewegung,)
serelepe,
(klever,)
a fazer arte lá dentro de mim.
(und macht Frechheiten in mir selbst.)

As vezes, fica escondido,
(Manchmal bleibt es versteckt,)
encolhido,
(zieht sich zurück)
ensimesmado no canto do coração.
(in ein kleines Eckchen meines Herzens.)

14.12.06

Perspectivas!


Sou filho de terra revolvida e sofrida.
Andei pelo lamaçal e senti cabeças febris.
Vi estúpidos apostando unanimidade ferida.
Olhos opacos, cobertos por películas sem vida.

Quis curar apontando coloridos outros.
Dispensaram-me sob acusações hostis.
Visitei tribunais para explicar sonhos loucos.
Vozes timbradas articulavam ouvidos moucos.

Cicatrizes, marcas de experiências doloridas.
Velhos tempos a gerar e cruzar horizontes anis.
E eu aqui, repromovendo médias e grandes saídas.
Povo, gente, comunidade vivendo perspectivas.

8.12.06

Advento 1!


Mais 50 dias e estaremos de volta ao Brasil. A cidade de Munique está enfeitada para as festas de Natal. As pessoas se movimentam com pressa pelas ruas. Tudo extremamente organizado pela mão humana. Só falta uma coisa – a neve. Os meteorologistas de plantão afirmam que uma tal temperatura amena como a que vivemos neste período de Advento, só foi testemunhada a 250 anos atrás.

Para os bávaros essa “temperatura amena” da qual os jornais falam, significa 6° a 14° positivos. Interessante este povo do sul da Alemanha. Aqui e agora eles gostariam de afundar seus pés na neve, constatar seus termômetros indicando números bem negativos. Há uma crise instalada no ar e a natureza até parece concordar. Em pleno inverno, quando as plantas deveriam estar “dormindo”, há algumas espécies que já deixam explodir seus botões de flor.

Entremeio a estes acontecimentos, estamos empacotando os nossos pretences com vistas à mudança para Joinville. Na nossa cabeça há um misto de alegria e tristeza. Tínhamos sonhado alguns sonhos que não se realizaram. No entanto, também podemos dizer que experimentamos um período bem especial para o nosso crescimento pessoal. Enfim, é a vida que vai passando e, junto, nos cumulando de experiências que, amanhã ou depois, ela mesma colherá.

OLHA SÓ!

  A BAILARINA DE AUSCHWITZ Outro dia, após repartir algumas dificuldades com uma amiga, fui desafiado a ler o livro “A Bailarina de Auschwit...