18.5.10

Pentecostes - A Festa do grande Abastecimento!


Imaginemo-nos um motorista andando pela BR 101. Depois de certo tempo o relógio do combustível indica que a gasolina está quase no fim. O motorista não dá a mínima atenção ao fato, mas pisa mais fundo no acelerador. Num dado momento ele vê o posto de gasolina na beira da estrada. Ele pode estacionar perto de uma das bombas e encher o tanque do seu carro, mas ele diz pra si mesmo: “Não precisa! O restinho de combustível ainda dá para eu chegar ao meu objetivo.” E segue adiante. A luzinha vermelha do painel começa a piscar, mas nosso motorista segue sua viagem até o momento em que o motor começa a engasgar e apaga. Ele desce do carro e fica “sem pai e sem mãe” à beira da estrada.

Como é que podemos classificar esse tal motorista? Na certa vamos dizer: “Azar dele! Se tivesse ficado esperto para os avisos no painel do seu carro, teria abastecido o mesmo e não estaria a pé. Que se dane!”

Pois olha! Entendo Pentecostes como a festa do “Grande Abastecimento” da Igreja. Nela Deus oferta o Seu Espírito às pessoas, à Igreja. Estas pessoas não precisam fazer nada a partir de sua própria força, apenas confiar na força do Seu Espírito. Os discípulos, no encontro que tiveram com o Ressuscitado, receberam o Espírito Santo a partir de um sopro (João 20.22). Temos que olhar as festas da Páscoa e de Pentecostes uma do lado da outra. Em Pentecostes, a partir da força do Espírito Santo, nós podemos respirar e encher o nosso “tanque” de forças.

É interessante notar que também nos tempos da Igreja Antiga as pessoas se comportavam tal como o nosso motorista que não abasteceu seu carro, apesar das chances. Eles sabiam da “Fonte de Poder”, mas se esqueciam de usá-la. Timóteo tinha esse perfil. Paulo escreve sobre as lágrimas de Timóteo. Aquele jovem não chorou apenas porque não podia mais contar com a presença de Paulo ao seu lado (2 Timóteo 1.4). Pode ser que Timóteo tenha chorado por causa do sentimento de medo, de esgotamento e ou do amor que perdera. Timóteo tinha se esquecido de “abastecer”. Paulo precisou lembrá-lo: “...re-aviva o dom (carisma) de Deus que há em ti...” (2 Timóteo 1.6). Ou seja: Não te esqueças do “tanque de combustível” Timóteo! Não ande pelo mundo até gastar a última gota! Atenta para o dom que Deus te presenteou. Logo depois Paulo escreve a respeito desse “combustível interno” que existe dentro dos cristãos: “Deus não nos deu um espírito de medo, mas um espírito de força, de amor e de sobriedade” (2 Timóteo 1.7).

Há momentos na vida em que você também se sente assim como o Timóteo se sentiu? Vocês também se esquecem de atentar para os sinais de falta de “combustível”? Vocês se encontram esgotados? Vocês estão sentindo medo? Vocês não estão experimentando o amor?

Se este for o caso, lembrem-se: Pentecostes é a “Festa do Abastecimento”, a “Festa da Lembrança”! Deus nos deixou o Seu Espírito Santo. Jesus Cristo, o Ressuscitado, vive em nós. É o Seu Espírito que nos dá forças; que nos consola; que nos agrega como filhos de Deus; que nos oportuniza a experimentação de esperança; que nos faz passar da morte para a vida (Romanos 8.11-17).

Isso não significa que não devamos caminhar o nosso caminho. No percurso da vida nós também encontraremos “engarrafamentos”, “desvios” e até “acidentes”. Que bom! Em Pentecostes podemos sempre de novo lembrar-nos: Deus nos presenteou Seu Espírito. É Ele quem preenche a nossa vida com nova força! Amém!