Busque Saber

25.4.11

Qual é teu signo?


Áries 21.3. - 20,4
Viva o dia de forma confiante e não se preocupe com o seu horóscopo! Se você estiver atento, você vai poder perceber o quanto você pode ser grato. Visite um Culto no domingo! O que você vai ouvir lá será de muita valia para o seu futuro!

Touro 21,04-20,5
Não se fixe nessa história se as estrelas lhe são favoráveis ou não! Em vez disso, procure a companhia de pessoas queridas e procure prestar atenção ao lado belo da vida! “Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, do Pai das luzes”. (Tiago 1.17). O que você precisa agora não vem das estrelas, mas de Deus. Quando foi a última vez que você orou?

Gêmeos 21,5 -21,6
Os problemas do cotidiano podem ser muito estressantes. Não se preocupe com o que os astros dizem! Na verdade eles não podem lhe ajudar muito. Com confiança em Deus, imaginação e coragem você vai superar os seus problemas!

Câncer 22.6. - 22,7
A partir de hoje abstenha-se da leitura de horóscopos. Presenteie este tempo adicional a uma pessoa que esteja perto de você! “Para um amigo leal, não existe um preço, nada supera o seu valor.” Em quem você está pensando?

Leão 23,7-23,8
Se você, neste momento, está se estressando com alguma pessoa, não pense que as estrelas sejam culpadas por causa disso. Peçam a Deus por pensamentos claros e um coração gentil! As chances de que sua raiva se “evapore” durante o dia são muito grandes.

Virgem 24,8-23,9
Não constelação de estrelas vai poder impedir você de promover alguma alegria especial para alguém. Não espere muito tempo! Você já tem uma idéia? Atenção: “Não pense pequeno quando fazes o bem” (Tobias 4.16).

Libra 09.24 -23,10
Se você não disser claramente o que você quer, não se surpreenda se os outros não entenderem os seus desejos. Esforce-se para ser claro. (Você pode aprender a ser claro com as estrelas. Muitas vezes elas brilham com extrema claridade.) Aliás, mesmo em assuntos religiosos, você deve optar pela claridade: a crença em horóscopos e a fé em Jesus Cristo não andam juntas!

Escorpião 24,10 - 22:11
Se você quiser trazer mais luz para sua vida, então deixe a astrologia e a adivinhação de lado! Em vez disso, experimente entender esta palavra da Bíblia: “Tem sido dito a você, homem, o que é bom e o que o Senhor pede de ti, nada mais do que isso: agir com justiça, amor e fidelidade, o amor vai humildemente com o teu Deus. (Miquéias 6.8)

Sagitário 23:11-21:12
Você ainda tem muitas chances a experimentar em sua vida. Nada disso está escrito nas estrelas, mas a Bíblia pode lhe ajudar realmente. Permita que esta palavras façam casa no teu coração: “Seja forte e corajoso, não tenha medo porque o Senhor teu Deus está com você em tudo que empreender.” (Josué 1.9)

Capricórnio 22,12. - 20.1
Às vezes você se sente preso e demasiadamente dependente de outros? Não consulte a opinião dos astrólogos. Pegue o comando de sua vida nas próprias mãos! Tenha a coragem de tomar decisões, mesmo correndo o risco de, às vezes, cometer erros! Deus ama você e irá acompanhá-lo.

Aquário 21,1-19,2
Não permita que os teus problemas ocupem muito do tempo da tua vida. Procure uma pessoa experiente e discuta abertamente com ela a respeito da sua situação. Essa pessoa vai lhe ajudar a esclarecer alguns pontos obscuros. Esqueça essa história de horóscopo. O teu signo não pode te ajudar.

Peixes 20.2. -20. 3.
Você é uma pessoa adorável! Leve esta verdade a sério e descubra nos teus próximos o o belo que existe em cada um. Cada pessoa, por mais complicada que seja, tem seu lado bom e essa descoberta não precisa ser feita com o auxílio de estrelas, mas com tua observação. Você vai perceber que uma palavra amável pode fazer maravilhas!

Hulda Hertel!


Conheci a diaconisa Hulda na década de 70. Naquela época eu era “figurinha carimbada” na Casa Matriz de Diaconisas. A Hulda era uma ministra. Informaram-me que aquela senhora com olhar simpático se importava com crianças empobrecidas numa creche em Brasília, no Distrito Federal. A vida foi passando e, por tabela, aqui e ali, nos promovendo encontros. Num certo dia fiquei sabendo que ela também era colega pastora da IECLB.

Nos anos 2000 fui morar na Alemanha. Um dia abri a porta do nosso apartamento e lá estava a Hulda. Ela trazia um quilo de erva-mate debaixo do braço. Conversamos durante boa parte da noite sob a luz de uma vela e o sabor de uma, duas garrafas de “Weizenbier”. Ouvimos da Hildegart; da IECLB e dos amigos comuns. Matamos saudades e depois passeamos pelo “Marienplatz”. Compartilhamos das nossas dores; dos nossos dissabores. Ouvimos sugestões de como melhor enfrentar nossos dilemas; rimos; festamos a vida; sonhamos.

Eu jamais me esquecerei das irmãs diaconisas de “Stockdorf”. Foi a Hulda que nos promoveu aquele encontro. Aquela nova amizade alemã nos foi uma bênção sem medida. Às vezes olho para trás e me dou conta de que a Hulda foi sim um anjo que voou de forma um tanto desengonçada para dentro daquele espaço no sexto andar da “Arcisstrasse 44”. Levei-a ao aeroporto de “S-Bahn”. Atei amizade mais forte com ela. Carrego a impressão que nos admirávamos mutuamente.

De volta ao Brasil vim trabalhar na Paróquia São Mateus. No dia da minha instalação como ministro da Igreja em terras joinvillenses, convidei-a para ser minha assistente. Sua palavra foi pessoal; carinhosa e cheia de amor. Na oportunidade ela me desejou alegria e força no novo trabalho que abraçava; me presenteou um livro de orações; me deu um abraço que continua quente, mesmo depois de quatro anos. Sempre que nos encontrávamos, dizia ser minha madrinha. Ai que tristeza. Deus chamou minha madrinha para perto de Si.

Seu corpo está enterrado no pequeno cemitério do “Mutterhaus”. Um dia ainda quero sentar num dos bancos que ladeia sua sepultura para, no silêncio, meditar sobre a vida daquela que um dia me soprou nos ouvidos que “quem se deixa marcar pela infelicidade não terá o entusiasmo necessário para tornar as pessoas que estão próximas felizes”. Sentirei saudades da Hulda; daquela mulher; daquela diaconisa; daquela pastora forte que me falava com o olhar. A gente se vê Hulda. Inté!

21.4.11

Venham e Vejam - Mateus 28.1-10


Jesus foi sacrificado na cruz no meu, no teu lugar. Na cruz Jesus venceu o pecado; o inferno; a morte e o diabo. Foi o sacrifício do Único Justo que a História conheceu que oportunizou caminho livre para o perdão dos pecados da humanidade; para a libertação de todas as amarras que por ventura se experimente; para a conversão de desviadas e desviados em filhas e filhos de Deus. Ouçam o texto bíblico de Mateus 28.1-10...

1. No fim do sábado, quando já despontava o primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro. 2. E eis que houvera um grande terremoto; pois um anjo do Senhor descera do céu e, chegando-se, removera a pedra e estava sentado sobre ela. 3. o seu aspecto era como um relâmpago, e as suas vestes brancas como a neve. 4. E de medo dele tremeram os guardas, e ficaram como mortos. 5. Mas o anjo disse às mulheres: Não temais vós; pois eu sei que buscais a Jesus, que foi crucificado. 6. Não está aqui, porque ressurgiu, como ele disse. Vinde, vede o lugar onde jazia; 7. e ide depressa, e dizei aos seus discípulos que ressurgiu dos mortos; e eis que vai adiante de vós para a Galiléia; ali o vereis. Eis que vo-lo tenho dito. 8. E, partindo elas pressurosamente do sepulcro, com temor e grande alegria, correram a anunciá-lo aos discípulos. 9. E eis que Jesus lhes veio ao encontro, dizendo: Salve. E elas, aproximando-se, abraçaram-lhe os pés, e o adoraram. 10. Então lhes disse Jesus: Não temais; ide dizer a meus irmãos que vão para a Galiléia; ali me verão.

Insônia

Hoje em dia a cristandade; o povo que congrega nas Igrejas Cristãs é observado com ceticismo. A maioria das pessoas que nos cercam se mostram inseguras no que diz respeito à fé cristã. Elas até ouvem a Boa Notícia de que Jesus Cristo ressuscitou com o objetivo de lhes abrir as portas do Reino de Deus, mas não conseguem crer.

O domingo da Páscoa é um dia como outro qualquer para as pessoas que não conseguem crer. Somente a fé pascal pode fazer da Páscoa a pedra angular da esperança cristã. O Domingo de Páscoa aproxima ou afasta as pessoas de Deus. Foi exatamente isto que Paulo deixou claro à Comunidade dos Coríntios: “... se Cristo não foi ressuscitado, é vã a nossa pregação, e também é vã a fé de vocês”. (1 Coríntios 15.14) Vou dizer esta palavra de Paulo de forma diferente: - Querida São Mateus! Se Jesus Cristo não ressuscitou, então toda a nossa pregação aqui neste púlpito não faz sentido; então a fé que vocês professam é inútil...

Que texto bom de ler. Ele nos informa a respeito de duas mulheres discretas que, aparentemente, não conseguiram dormir naquela noite de sexta-feira para sábado. Uma delas chamava-se Maria Madalena. A outra também tinha o nome de Maria. Mateus nos conta que estas duas senhoras se dirigiram ao túmulo de Jesus quando ainda era madrugada. O fato de Jesus ter sido morto tinha tornado suas vidas vazias; completamente sem sentido. A sua desesperança lhes promoveu a insônia; a necessidade de fazer alguma coisa num momento em que nada podia ser feito. Então porque não caminhar; ir ver o túmulo; trabalhar o luto.

Interessante que justamente estas duas mulheres tiveram a honra de serem as primeiras a se encontrarem com o Ressurreto. Jesus Cristo se mostra àqueles que perdem tudo; àqueles que não têm mais possibilidades de seguir adiante; àqueles que O procuram.

Será que o nosso problema não reside no fato de que estamos satisfeitos com a vida e seus programas? De repente estamos nos sentindo ricos, a ponto de não precisarmos de Jesus? Porque agradecer pelos alimentos sobre a mesa? Pela família? Pela saúde? Pelos amigos? De repente a luz da Páscoa não está nos iluminando porque nem precisamos da claridade proporcionada por Deus; porque preferimos nos esconder nas sombras do “deixa que a vida siga e vamos que vamos”.

Conclusão

Para entendermos; para absorvermos a ressurreição de Jesus Cristo, temos que nos dar conta de que Ele venceu a dor; toda a maldade ocorrida naquela noite escura e pavorosa da Sexta-Feira Santa. Quando algum de nós é iluminado pela luz de Deus, esse está chamado a também ser luz na Joinville em que vivemos. Porque esse chamado ao engajamento? Ora, para que outros também experimentem a Páscoa como ela deve ser experimentada: Alegria! Jesus vive! Agora prestem atenção: O Ressuscitado nos comissionou a “irmos e falarmos isto que acabamos de ouvir às outras irmãs; aos outros irmãos” (Mateus 28.10)

13.4.11

Cadê as testemunhas?


Dois alunos da sétima série estavam conversando. O primeiro desafiou o segundo com estas palavras: - Prove-me que Deus existe! O menino pensou um pouco e respondeu: - Eu não consigo provar que Deus existe. Foi aí que o primeiro menino se saiu com esta: Eu posso provar que Deus não existe. Queres ver? Em todo o mundo há pessoas de guerra. Os jornais noticiam que mais de trezentas mil pessoas morreram em terremotos no Haiti, no Chile e no Japão. Meus pais estão em fase de separação. Na semana passada um jovem solitário tirou a vida de mais de 11 meninas e meninos de 13 anos de idade numa escola do Rio de Janeiro. Só com estas quatro constatações eu já consegui provar pra vocês que Deus não existe. Viu como foi fácil? Alguns colegas que ouviam aquela conversa acenaram suas cabeças afirmativamente. O menino que tentava provar que Deus não existia continuou: - Agora não me venham dizer que devemos acreditar em Deus porque as coisas sempre foram assim. Nós não somos bobos! Com esta história na cabeça eu as convido para a leitura de 1 Coríntios 15.1-11...

15.1 - Agora, irmãos, quero que lembrem do evangelho que eu anunciei a vocês, o qual vocês aceitaram e no qual continuam firmes. 15.2 - A mensagem que anunciei a vocês é o evangelho, por meio do qual vocês são salvos, se continuarem firmes nele. A não ser que não tenha adiantado nada vocês crerem nele. 15.3 - Eu passei para vocês o ensinamento que recebi e que é da mais alta importância: Cristo morreu pelos nossos pecados, como está escrito nas Escrituras Sagradas; 15.4 - ele foi sepultado e, no terceiro dia, foi ressuscitado, como está escrito nas Escrituras; 15.5 - e apareceu a Pedro e depois aos doze apóstolos. 15.6 - Depois apareceu, de uma só vez, a mais de quinhentos seguidores, dos quais a maior parte ainda vive, mas alguns já morreram. 15.7 - Em seguida apareceu a Tiago e, mais tarde, a todos os apóstolos. 15.8 - Por último, depois de todos, ele apareceu também a mim, como para alguém nascido fora de tempo. 15.9 - De fato, eu sou o menos importante dos apóstolos e até nem mereço ser chamado de apóstolo, pois persegui a Igreja de Deus. 15.10 - Mas pela graça de Deus sou o que sou, e a graça que ele me deu não ficou sem resultados. Pelo contrário, eu tenho trabalhado muito mais do que todos os outros apóstolos. No entanto não sou eu quem tem feito isso, e sim a graça de Deus que está comigo. 15.11 - Assim, não importa se a mensagem foi entregue por mim ou se foi entregue por eles; o importante é que foi isso que todos nós anunciamos, e foi nisso que vocês creram.

Cadê as testemunhas?

Somos pessoas críticas. Não só os jovens procuram provas da existência de Deus. Observem que não são somente os jovens que estão à procura de provas da existência de Deus. Às vezes também nós desejaríamos ver e ouvir as testemunhas que Paulo menciona em sua Carta à Comunidade desconfiada: Uma; doze; quinhentas pessoas tinham visto Jesus Cristo. Ah como seria bom se nós também pudéssemos conversar com esta gente toda.

“Cadê as testemunhas de Jesus Cristo?”. Cadê as testemunhas que viram e ouviram; que viveram e que sentiram a ressurreição do Filho de Deus de perto? Para Paulo a fé não tem sentido sem a comunhão com as irmãs e com os irmãos; sem a Comunidade; sem testemunhas. Vivamos a nossa fé; mostremos a nossa fé a partir das experiências que fazemos. A ressurreição de Jesus Cristo liga pessoas normais como tu e eu à Comunidade Viva e, assim, a Páscoa deve ser mais do que apenas uma data no nosso calendário de 2011.

“Cadê as testemunhas de Jesus Cristo?”. Conta-se que um homem idoso estava experimentando muita tristeza. Ele, durante toda a sua vida, tinha gastado o seu tempo seguindo lideranças erradas e isso o deixava extremamente triste. Agora, no final de sua vida, ele estava conseguindo dar a “volta por cima”, enquanto se empenhava em promover aos jovens uma convicção diferente daquela que tinha sido sua. Para ele essa experiência era como começar de novo. Os jovens podiam tocá-lo; entender a sua vergonha; compreender a sua mudança de vida. Sim, a graça de Deus não passa batida por nenhuma, por nenhum de nós!

Outro dia uma professora me falou que estava entusiasmada pelo fato de perceber que as crianças da sua creche tinham plena capacidade de resolverem suas contendas, suas briguinhas. Como é difícil se resolver problemas de relacionamento. Como é gratificante quando dois “brigões” se tornam novamente amigos. Nada de fazer de conta que está tudo bem. Nada de acumular raiva dentro do peito, mas presentear o opositor com doses de renovada confiança. As crianças são o melhor testemunho de que um novo começo pode ter sucesso entre duas pessoas.

“Cadê as testemunhas de Jesus Cristo?” Claro que poderíamos desistir de procurar por testemunhas de Jesus Cristo no meio dos tantos desastres que experimentamos. Às vezes estas catástrofes que ouvimos falar nos tocam no fígado e na mente. Elas nos machucam tanto que é quase impossível resolvermos os nossos problemas com força própria. O peso destas questões parece ser esmagador.

“Cadê as testemunhas de Jesus Cristo?” A Páscoa é uma festa para as pessoas que não negam a sua dor; que não engolem a sua raiva e que não escondem o seu fracasso. Mas a Páscoa também é uma festa para aquelas pessoas que abrem seus olhos para uma nova vida. Coisa boa quando se aprende a lidar abertamente com a própria culpa e também com o perdão do outro; com o presente da fé comunitária e não apenas com palavras bonitas, polidas, ensopadas de espiritualidade. Os que conseguem dizer palavras claras, corajosas e amorosas, alicerçadas em gestos brandos, conseguem viver e celebrar a Festa da Ressurreição e não se deixam derrotar.

Conclusão

Uma; doze; quinhentas pessoas – hoje essas testemunhas não podem mais ser contadas. Eu as encontro a toda hora. Conviver com elas é para mim uma bênção porque não podem e nem precisam provar nada. Elas, com sua vida; sua confiança; sua honestidade e seu otimismo são testemunhas vivas de que Jesus Cristo ressuscitou! Isso me basta!

Oração:

Jesus Cristo, Ressurreto, Tu nos presenteias com liberdade. Enquanto cremos nisso, Te esperamos. Presenteia-nos com a Tua força para continuarmos vivendo dessa forma. Amém!

12.4.11

Pedro subornando Jesus?


- Alô! Oi Rosa.
- Conversei a pouco com a Aninha. Ela queria saber sobre “superstição”.
- Ouvi a conversa Mano. Ela saiu. Liga daqui meia hora.
- Vou escrever-lhe um e-mail. Lembranças pro João!

“Oi Ana! Abre tua Bíblia em Lucas 18.28-30. Dá a impressão que Pedro está expressando “pensamento supersticioso” – não verdade? Carrega-se a impressão que os discípulos fizeram um “sacrifício” para seguir seu Mestre. Parece que Jesus Cristo esteja se prestando a fazer “negócio” com os discípulos.

Nada disso! Os discípulos têm grande devoção por Jesus. Não existem “segundas intenções” nas suas palavras. Não há nenhum resquício de qualquer idéia de que estejam almejando algum “presente”. Eles confiaram; se “jogaram de cabeça” no “colo” do Filho de Deus. Não lhes passou pela idéia a conquista de algum “lucro” com aquela decisão.

Mas que fique bem claro: Quem, desde o início, espera por alguma recompensa da parte de Deus está, na realidade, querendo subornar Deus; está dando claras mostras que não confia em Deus e que, portanto, é supersticioso. Beijo!”

Acanoados na magia!


O telefonema da minha sobrinha me fez pensar sobre o assunto “superstição”. É assim que hoje muitos jovens misturam conceitos de fé com idéias exotéricas. Agindo assim, buscam saber sobre o futuro a partir da magia, da astrologia, das cartas de tarô, do ocultismo, da terapia com pedras, dos curandeiros espirituais, da clarividência e outros.

Na Alemanha, de cada sete pessoas, uma se envolve com magia e bruxaria; de cada cinco, uma crê na reencarnação; de cada três, uma entende que o futuro pode ser sabido. Aqui no Brasil estes números são maiores e a prova disso são as nossas livrarias. Nelas, as prateleiras especializadas em tais assuntos ocupam duas, três vezes mais espaço do que para os temas religiosos.

Porque é que a superstição se enraíza tanto entre nós? Ora, a magia é a rejeição da onipotência de Deus e aí só vale a pessoa. Acanoados nessa idéia são muitos os que buscam a autodeterminação que, no final das contas, capturará com novas regras; com cartas; com novas leis ditadas pelas estrelas; com pêndulos; com dúbios livros milenares. Ai que tristeza!

8.4.11

Superstição!


- Oi tio!
- Como vai "gatinha"?
- Bem obrigada!
- O tio já sabe que sou confirmanda?
- Que legal!
- Pois é tio. Estou pesquisando sobre "superstição". O que é “superstição”?
- Ana! "Superstição" é a crença de que Deus se corrompe. Há pessoas que tentam viver uma vida super correta para receber alguma recompensa de Deus. Isso é tentar “negociar” com Deus; é colocar-se no mesmo nível e ou até num nível mais alto do que Deus. Isso é "superstição".
- Muito difícil essa resposta tio...
- Aninha! Presta atenção. Lembra daquela senhora adoentada que vizinhava com vocês? Quantas e quantas vezes nós a ouvimos dizer: - “Eu sempre fui uma pessoa honesta e útil. Por que é que Deus permite essa doença tão difícil na minha vida? Eu não mereço isso!”
- Lembro sim.
- Querida! Quando as pessoas barganham com Deus com o objetivo de influenciá-Lo a tomar uma posição ideal para elas mesmas, fica claro que essas tais pessoas são supersticiosas.
- Tio! Escreve isso daí num e-mail para eu poder ler uma, duas vezes e depois entender. Beijo pra tia! Vou desligar...
- Beijo Aninha!

6.4.11

Pratos limpos!


Deus tem um jeito bem especial de resolver problemas complicados. Para fazê-lo, Ele promove clareza e transparência onde há desacordo entre palavras e ações.

As pessoas cristãs se permitem atingir pelos raios da misericórdia; da justiça e da verdade de Deus. Quando elas são atingidas por estes atributos acontece a “boa radiação”, ou seja: bondade; integridade e honestidade. É assim que o mundo todo se beneficia dos “raios” da luz de Deus que se refletem nas Suas filhas e nos Seus filhos. Enquanto a maioria das pessoas só busca fama, lucro e diversão, a cristandade se auto-examina com perguntas constantes: - Será que Deus quer isso de mim? Será que o que vou fazer é bom? Será que continuo comprometido com a Verdade? Será que o que vou fazer é honesto?

Quem desenvolve a capacidade da auto-examinação vê a vida com outros olhos: percebe seu egoísmo; nota quando “marionetiza” os fatos em benefício próprio; se dá conta se suas atitudes só visam “lucros” exclusivos. Resumindo, pessoas expostas à luz de Deus aprendem a “olhar no espelho”. A autocrítica, muitas vezes, nos induz a só vermos as sombras que são produzidas à nossa volta. Carrego a impressão que Deus não se alegra com a nossa participação nestes fóruns.

O fato é que Deus usa de outra abordagem para desestabilizar o erro. Quando a maldade vem anuviar, Ele desafia a reagirmos com honestidade, bondade e retidão. Isso não quer dizer que vamos deixar passar o mal dito em brancas nuvens; que vamos engolir em seco as ofensas que nos imputaram. O enfrentamento das crises leva à introspecção; ao autoconhecimento; à maturidade. É nestes momentos que os atos de injustiça são colocados sobre a mesa para, só então, serem desmascarados; expostos à luz. Deus, ao Seu jeito, põe todas as crises em “pratos limpos”, a partir da Verdade.

1.4.11

Streuselkuchen


A atendente serviu-me uma fatia de “Streuselkuchen”. A Êlla também estava junto a uma das mesas da “Vila”. Sentei-me com ela para saborearmos uma “média” de café com leite.
– Oi Êlla! Que alegria te ver de novo!
– Oi pastor! Li sua coluna no Caminho.
– O pessoal gostou de saber da tua experiência.
– Minha mãe leu e se preocupou comigo...
– Verdade? Mas o que é esse documento? Tua Certidão de Batismo! Hummm... batizada no 17 de dezembro de 1978...
– É! Minha mãe pediu que eu o guardasse com carinho. Disse-me que a “luz” de Deus brilha sobre mim e que isso já é razão mais do que especial para eu viver alegre e disposta.
– Tua mãe está certíssima. Gostei do versículo bíblico: “Eu sou a luz do mundo; quem me segue nunca andará na escuridão, mas terá a luz da vida.” Ótimo!
– É pastor... Já meditei muito sobre este verso de João 8.12. A minha fé não é garantia contra as experiências de escuridão que, volta e meia, me atingem.
- Certo! Também as pessoas cristãs podem vir a experimentar tempos de tristeza e dificuldades. No entanto, quem crê em Jesus Cristo tem o privilégio de saber que existe Alguém que é maior do que os problemas a serem enfrentados.
– Sei disso. Hoje já experimento mais da “luz” e do “calor” de Deus.
– Êlla! Lamento. Estou sendo chamado pelo telefone. Continuamos esse “papo” noutra oportunidade. Segue teu caminho. Se precisares da minha ajuda, liga. Continuo torcendo por ti.

OLHA SÓ!

  A BAILARINA DE AUSCHWITZ Outro dia, após repartir algumas dificuldades com uma amiga, fui desafiado a ler o livro “A Bailarina de Auschwit...