5.7.11

Quem sou eu?


Jesus caminhava com Seus discípulos nas cercanias das fontes do Rio Jordão. Num dado momento da caminhada Ele lhes faz uma boa pergunta aberta: - Ei pessoal! O que é que as pessoas pensam de Mim? Várias respostas erradas foram dadas, como bem se lê em Mateus 16.13-19.

Jesus, num segundo momento, fecha a pergunta. Ele quer dialogar de forma mais focada sobre a questão “Quem sou eu”? Sim, Jesus quer saber como os discípulos O entendem (v. 15). É nesse momento que o apóstolo Pedro fez uso da palavra e traz excelente resposta para dentro da roda. Ele diz: “Tu és o Cristo, o Salvador enviado por Deus, o Filho do Deus vivo”. (v. 16)

A Igreja Luterana tem um mártir chamado Dietrich Bonhoeffer. Esse homem escreveu a uma poesia, enquanto sofria num dos Campos de Concentração nazista. Nela ele expressa que os companheiros de cela o viam como alguém seguro de si; como uma pessoa que sai de sua mansão com a cabeça erguida. Será mesmo que ele era aquilo que os outros pensavam dele? Essa constação o fez olhar para dentro de si e se perceber como indivíduo inquieto; saudoso; doente; ansioso por cores, por flores e pelas “vozes” das aves; sedento por palavras de bondade e de boa vizinhança; conturbado; trêmulo; impotente; cansado e vazio ao orar; ao pensar e ao agir. Sim, ele estava pronto para dizer adeus à vida. “Quem era ele? Este, ou àquele outro? Um hipócrita diante dos outros e um angustiado diante de si? Fosse quem fosse – ele era propriedade de Deus e estava acabada a história!

Mesmo que não sejamos Bonhoeffer, os nossos sentimentos se aplicam a todos os verdadeiros cristãos. Mesmo que vivamos no mundo, não pertencemos a este mundo. Mesmo que não sejamos perfeitos, não somos escravos do pecado. Nós não pertencemos nem a nós mesmos, mas a Deus. Foi Deus quem nos criou; quem nos “comprou” do Diabo com o sangue de Jesus Cristo. O amor de Deus é tão forte e firme, que nada e ninguém são capazes de nos afastar Dele. Quer dizer, Deus nos abraça firmemente com Seu amor. Se nós não nos separarmos Dele, não existe força ou poder no mundo que tenha a capacidade de fazê-lo.

Quem somos nós? Nós somos ferramentas de Deus aqui neste chão. Que possamos continuar caminhando, sempre sabedores que Jesus Cristo é o nosso Salvador enviado por Deus; que Ele é o Filho do Deus vivo e acabiou a história.