19.10.12

Fé e Dinheiro!


Em Mateus 20.25-26 se lê: “Sabeis que os governadores das nações as dominam e os grandes as tiranizam. Entre vós não deverá ser assim. Ao contrário, aquele que quiser tornar-se grande entre vós, seja aquele que serve...”

Essa palavra me lembrou de um ditado popular que diz: “O dinheiro rege o mundo!” Está certo! É o dinheiro que dita os rumos do nosso sistema econômico. Quem tem dinheiro tem poder; pode comprar qualquer mercadoria. Sim, o dinheiro tem força descomunal no mundo em que vivemos. De um modo geral as pessoas podem aumentar seus bens e sua influência; explorar segundos e terceiros  com o dinheiro.

É isso! Com dinheiro se rege e se domina o mundo. O que diz a Igreja sobre este assunto? Será que as pessoas cristãs pensam de forma diferenciada? Será que a Comunidade Cristã não está acima destas questões que dizem respeito ao dinheiro? Às vezes eu carrego a impressão que nós, cristãs e cristãos, não nos diferenciamos das pessoas seculares, quando o assunto é dinheiro. Ouso fazer esta afirmação porque, aqui e ali, ouço palavras do tipo: “Não! Não podemos nos dar a esse luxo. Trata-se de uma boa ideia, sem dúvida, mas o nosso orçamento simplesmente não chega lá!” Muitas vezes, também é assim na Igreja que as nossas decisões se deixam determinar pelo dinheiro e não pela vontade de Deus. Quem tem olhos de ver, percebe que quando o assunto é dinheiro, as pessoas cristãs geralmente assumem o jeito de ser das não cristãs. Que jeito é esse? Ora, elas também se colocam como escravas de “Mamon”! 

Jesus diz: “Entre vós não deverá ser assim!” Aqui neste versículo Jesus se refere aos governantes que oprimem os seus povos. Penso que não seja errado aplicar esta mesma declaração à supremacia do dinheiro no mundo. “Não deve ser assim entre vós!” Isso mesmo! O dinheiro nunca deveria ter o primeiro lugar na Igreja, mas sim a proposta que Deus. O que sempre deveria estar ocupando o nosso foco é a tarefa que Deus deu à Comunidade; à Igreja. Onde focar nossa atenção? Ora, nas pessoas amadas por Deus. São elas que precisam ser objetivadas em todo e qualquer trabalho comunitário. Essa conversa de que “sem dinheiro nada funciona” não pode prevalecer na Comunidade. A confiança em Deus deve ser maior do que este detalhe!

Logo depois de ter declarado que não devemos servir às riquezas, Jesus ainda aprofunda a questão: “Não vos preocupeis com a vossa vida, quanto ao que haveis de comer, nem com o vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir... o vosso Pai Celeste sabe que tendes necessidade de todas estas coisas... (Mateus 6.25a e 32b). Quer dizer: É Deus quem cuida de nós - se confiarmos Nele. Como é que hoje, nós, pessoas comprometidas com o cristianismo, poderíamos sinalizar que não somos pessoas movidas pelo poder do dinheiro, mas pelo poder de Deus?


Nenhum comentário: