11.11.13

Um e-mail fictício!


Caríssimo Paulo!

Tu me pedes para que eu vença o mal pelo bem (Romanos 12.21). Eu, quase sempre, só percebo o mal quando ele já me envenenou minha vida. Daí então já estou induzido a não cumprir esta ou aquela tarefa; a dizer uma mentirinha aqui e ali; a fazer pouco caso da vontade Deus. Quer dizer, quando me dou conta, o mal já colocou seu pé na porta. Eu sei que o mal separa as pessoas; que ele divide o mundo em ricos e pobres, em justiça e em injustiça e que muita gente comunga de suas idéias por medo e até por convencimento. Olha Paulo! Sinto-me pequeno para dar conta da tarefa que me propões. Tua palavra é boa, mas os fazedores do mal não dão a mínima para mim. O que é que eu faço?
Renato


Querido Renato!

Obrigado pela tua sinceridade. Só o amor é capaz de promover uma vida responsável. As pessoas que amam a Deus não conseguem pautar sua história no mal, na injustiça e isso, não porque são melhores. Tu sabes que eu sempre lutei contra toda e qualquer segregação. Deus sonha que as mulheres e os homens se respeitem mutuamente. Só assim haverá paz e cuidado recíproco com a criação de Deus. A verdade é que quem permite a entrada do bom Deus em sua vida não consegue mais comungar com o que é mal. Assim, fica esperto com teus sentidos. Abre os teus olhos e teus ouvidos para não dar nenhuma chance ao mal. Trabalha o bem em ti e reparte isso com quem está próximo. Desculpa se te coloquei sob pressão, mas minha Palavra tem o intuito de te libertar e te orientar no sentido de que não precisas construir o bem. Deixa-te apenas orientar por ele. Isso já será suficiente para gerar em ti uma a força capaz de mover o mundo.

Abraços!

Paulo

Nenhum comentário: