30.6.06

Em terras estranhas!


Como deve ser sabido de muitos, continuo trabalhando como Pastor de Estudantes na Pastoral Universitária de Munique (Evangelische Studentengemeinde ESG an der Ludwig Maximilians Universität - LMU). Tento investir todo meu tempo nos 13 mil estudantes estrangeiros, oriundos de países em desenvolvimento, que estudam aqui na capital da Baviera.

Ontem à noite minha esposa e eu visitamos duas moças iranianas. Elas moram num pequeno apartamento, afastado do centro da cidade. Uma delas estuda Direito e a outra Administração. Tomamos chá, jantamos e acabamos dialogando sobre os duros momentos que se vive, quando se é estrangeiro.

A Simin e a Sarah têm que estudar muito. Para se manterem, também precisam trabalhar demais. E os empregadores alemães, sabedores desta necessidade “estrangeira”, sugam o que podem da sua força juvenil. Simplesmente não é fácil sobreviver numa comunidade estranha, quando as feições do rosto deixam clara a procedência do indivíduo.

Enfim, acabamos chegando a conclusão de que este tempo de “deserto” acaba fazendo bem a quem nele sobrevive. Depois de passarmos por tantas necessidades e, no final das contas, sairmos vencedores, nos vêm uma força incrível para o enfrentamento dos problemas que iremos encontrar quando da nossa volta ao país de origem. Esta dura oportunidade nos permitiu, e continua permitindo, uma olhada para dentro de nós mesmos. Isso mesmo! Hoje vemos a vida com bem outros olhos e estamos mais prontos para bem viver.

Escreverei mais a respeito desse assunto...

Nenhum comentário: