19.9.06

A Darclê e o Aron!


Lá pelos inícios de agosto deste ano, fui convidado a visitar meus velhos amigos Darclê, Aron e seus dois filhos, em Curitiba! Fui junto com meus hospedeiros Lori e Mário. Para surpresa minha, lá já estavam a Sílvia e o Jairo. Que festa aquele nosso encontro. As muitas experiências comuns que vivemos juntos pareciam querer gritar gritos de alegria, quando dos nossos abraços.

Pois o querido casal nos promoveu momentos de grande festa. Depois de muita comunhão, sentamo-nos à mesa para jantar. A luz que descia do lustre e iluminava nossos rostos, ia preenchendo de vida os espaços que íamos deixando entre as expressões que brotavam dos nossos diálogos. E assim, não fomos vendo o tempo passar.

Quando já era o início da madrugada pensei em me retirar. Mas como retirar-se de um lugar assim, sabendo-se de antemão que, por certo, nos próximos anos, não se haveria de viver momento tão bonito! Fui ficando, ficando, ficando... Quando os galos começaram a cantar, isso lá pelas cinco da manhã, fomos dormir nossas duas horas de sono.

O dia seguinte foi cheio de atividades, como todos os dias tinham sido e continuariam sendo. O cansaço que eu sentia convertia-se, incontinente, em mais energia por causa da lembrança daqueles sorrisos emoldurados sem cor de mentira. Por tudo isso, não canso de afirmar: - sou grato a Deus pelos caminhos calçados de privilégios que ainda experimento.

3 comentários:

ARON disse...

Nós sempre achamos que não fazemos nada de mais.
Ficamos emocionados e muito felizes que tu dás importância à pequenas coisas.
São pequenas, mas importantes sim.
E são normais, fazem parte de nós, pois não é difícil acolher as pessoas que amamos.

Tens uma veia poética aflorando.
É bom ler teus textos.
Estamos torcendo para que um livro seu seja publicado.

Beijos e abraços, para a Valmi também.

Aron e Darclê

ARON disse...

Nós sempre achamos que não fazemos nada de mais.
Ficamos emocionados e muito felizes que tu dás importância à pequenas coisas.
São pequenas, mas importantes sim.
E são normais, fazem parte de nós, pois não é difícil acolher as pessoas que amamos.

Tens uma veia poética aflorando.
É bom ler teus textos.
Estamos torcendo para que um livro seu seja publicado.

Beijos e abraços, para a Valmi também.

Aron e Darclê

ARON disse...

Nós sempre achamos que não fazemos nada de mais.
Ficamos emocionados e muito felizes que tu dás importância à pequenas coisas.
São pequenas, mas importantes sim.
E são normais, fazem parte de nós, pois não é difícil acolher as pessoas que amamos.

Tens uma veia poética aflorando.
É bom ler teus textos.
Estamos torcendo para que um livro seu seja publicado.

Beijos e abraços, para a Valmi também.

Aron e Darclê