14.11.06

Estava batido o martelo!


As senhas diárias de hoje apontam para o Salmo 11,7a (Porque o Senhor é justo, ele ama a justiça;) e para Efésios 5,9 (porque o fruto da luz consiste em toda a bondade, e justiça, e verdade). Na oração que acompanha os dois versos bíblicos está a primeira estrofe do hino n° 154 (Evangelisches Gesangbuch) onde se lê: - “Herr, mach uns stark im Mut, der dich bekennt, dass unser Licht vor allen Menschen brennt! Lass uns dich schaun im ewigen Advent! Halleluja!“ Foi bom meditar sobre este pequeno conteúdo, agora de manhã.

O ano de 2006 foi interessantíssimo para mim, como obreiro da IECLB. Daqui e dali eu ouvia informações de que não seria fácil conseguir uma vaga para atuar como obreiro n’alguma Comunidade da IECLB. Daí que comecei a informar-me sobre possibilidades de trabalho já em 2005. Assim enviei meu “Curriculum” para um sem-número de Comunidades. Junto, passei a conversar com muitas obreiras e obreiros da nossa Igreja. Nestes diálogos, sempre explicitei o desejo de que me auxiliássem quando de minha volta ao Brasil em 2007. E o tempo foi passando…

O contato com a Paróquia São Mateus de Joinville começou a esquentar em julho de 2006. Depois de vários telefonemas e E-Mails, enviei-lhes um vídeo com respostas às suas perguntas e, junto, uma meditação. Soube que as liderancas se reuniram com o Presbitério e trataram do assunto. Ficamos acordados de que a decisão aconteceria no dia 12 de novembro de 2006, depois do Culto Dominical, quando então nos apresentaríamos à Comunidade, a partir de uma video-conferência.

O domingo aconteceu. Assistimos ao Culto pela internet. Depois do mesmo, as lideranças da Paróquia nos fizeram em torno de sete perguntas e, ao cabo das respostas, a membresia presente ainda teve a chance de rever nosso video de apresentação. Feito isso, o presidente perguntou aos presentes se nos aceitavam como obreiros e a Comunidade disse “sim”. Estava batido o “martelo”.