8.8.07

Viagem à Rússia VI - 20/07/02 - (sábado)


O sábado amanheceu chuvoso. O programa novamente foi seguido à risca. Trabalhamos diariamente em torno de sete horas seguidas. Quer dizer, nossas atividades eram carregadas de conteúdo. Isso exigia força mental dos participantes. Depois de toda a liturgia (Pistão, Celebração, Café, etc.), chegou a nossa vez de tocar o tema “Crendices”para a frente. Num primeiro momento, penduramos o mapa do Brasil na pareda da sala de reuniões do evento e, a partir dele, fomos falando do povo brasileiro; da imigração alemã, da sua fé e por quê não, também das suas crendices. Todos eram ouvidos. O trabalho e o desgaste que enfrentávamos voltava transformado em prazer. Tudo transcorreu sem muitas novidades.

Ao cabo do dia todas as mulheres tiveram novamente a oportunidade de visitar a sauna. A Valmi ficou lá das 21h e 15min até às 23h e 30min da noite. Já eu fiquei na sala de reuniões conversando com algumas pessoas. Tentaram ensinar-me melodias russas e eu, em contrapartida, melodias brasileiras. No meio disso, brotavam perguntas informais sobre o ensino no Brasil. Ali fiquei sabendo que entre os participantes do Seminário havia cinco professoras universitárias. Também fiquei sabendo que dois dos jovens que ali se destacavam eram engenheiros em fábricas de helicópteros e bombas de guerra. Algumas das pessoas usaram a noite se sábado para preparar o Culto do Domingo de manhã. O Grupo Coral ensaiou músicas até altas horas da noite. Adormecemos ouvindo as mesmas.

Nenhum comentário: