25.5.12

A Terceira Pessoa da Trindade - O Espírito Santo! (João 15.26-27 e 16.4-15)


Jesus sabia da crise pela qual os Seus discípulos iriam passar, depois que Ele voltasse para junto do Seu Pai. Jesus estava consciente de que seus discípulos teriam dificuldade de “aguentar o tranco” depois da Sua partida. Foi por isso que Ele eviou o Espírito Santo a todas as Suas seguidoras; a todos os Seus seguidores. Do Evangelho lido, eu destaco o verso 7 de João 16: “Mas eu vos digo a verdade: convém-vos que eu vá, porque, se eu não for, o Consolador não virá para vós outros; se, porém, eu for, eu vo-lo enviarei.”

Para mortais como tu e eu, o Espírito Santo é um grande mistério. Em nenhum momento Ele nos é apresentado como uma pessoa. Vem daí a nossa dificuldade em imaginá-Lo. Dado a esta dificuldade, algumas pessoas chegam ao ponto de negá-Lo; a classificá-Lo como uma “força divina impessoal e relativa” – nada mais do que isso.

Aqui e ali se ouve perguntas do tipo: - Será que o Espírito Santo é mesmo tão importante para nós? Será que a nossa fé em Deus e em Jesus Cristo já não sejam suficientes? – Será que precisamos levar o Espírito Santo tão a sério como se sugere por aí? Ora, erram feio as pessoas que pensam assim. O próprio Jesus e todo o testemunho que brota de dentro do Novo Testamento nos deixam claro o quanto somos dependentes do Espírito Santo. Sem o Espírito Santo nós não poderíamos ser resgatados para dentro do Reino de Paz, Amor e Perdão de Deus!

Jesus nos declara que o Espírito Santo abre o entendimento das pessoas a respeito do seu pecado (João 16.8); que é somente através do Espírito Santo que podemos reconhecer a nossa maldade; que podemos vir a desejar a nossa redenção. Gente querida! Nós só poderemos perceber e compreender o caminho que nos leva à salvação, se o “Espírito da Verdade” nos conduzir a toda verdade (13). Resumindo, o Espírito Santo nos atrai (14-15); nos leva até o nosso Pai do Céu.

Digo mais... O Espírito Santo de Deus também nos promove a vitória sobre os nossos pecados (Romanos 8.2). É o Espírito Santo quem amadurece os “Frutos do Espírito” em nós (Gálatas 5.22-23): amor, alegria, paz, paciência, bonade, retidão, fidelidade, mansidão e domínio próprio. É assim, e não de outra forma que a nossa vida vai se sintonizando com o Amor de Deus. O Espírito Santo promove o crescimento espiritual e desenvolve dons na vida das pessoas cristãs (1 Coríntios 12.1-11): dar conselhos sábios; aptidão para estudar e ensinar; a ter fé; a curar doentes; a fazer milagres; a profetizar e pregar; a ter discernimento sobre as mensagens que são trazidas; a falar e a compreender línguas estranhas, etc. Enfim, o Espírito Santo promove a alegria e a certeza da salavação no coração das filhas e dos filhos de Deus (Romanos 8.15-16). Sim, o Espírito Santo dá profundidade à nossa vida de oração (26-27) e nos oportuniza darmos um testemunho coerente sobre Jesus Cristo, o nosso Salvador (Atos 1.8). 

Concluo dizendo que o Espírito Santo oportuniza todos estes efeitos em nós. E assim nos fica claro o quão pobre seríamos, se o Espírito Santo não fosse o nosso Assessor; nos fica evidente o quanto Ele nos quer fazer ricos e o quanto somos dependentes Dele. Sem o Espírito Santo, nós não teríamos qualquer ajuda; nós não poderíamos ser confortados; nós estaríamos órfãos, completamente sós neste mundo (João 14.16-18); nós estaríamos perdidos, sem nenhuma esperança. Peçamos, diariamente, que o Esírito Santo nos visite para que possamos ficar “cheios” Dele (Atos 2.38-39  e 4.8-31).

Nenhum comentário: