12.5.12

DIACONIA É "AMT" I

Como é que se repassa o amor de Deus que nos presenteou Jesus Cristo aos outros? Como é que se leva o amor com o qual Jesus Cristo nos amou aos próximos? Ora, a “diaconia” visa compartilhar o amor apreendido com as pessoas que circulam à volta. Sim, a “diaconia” é o amor em ação.

A “diaconia” não deve ser apenas entendida como um “guarda-chuva” da “previdência evangélica”. Quem pratica a “diaconia” sabe que as pessoas querem ser amadas porque são seres humanos. O texto que se lê em Romanos 12.4-16 identifica o “ato de amar” como sendo uma ação elementar e suficiente.

A Carta aos Romanos define o “amor” como extremamente prático para a vida. Assim, as pessoas que se engajam na “proposta do amor”, logo se conectam com outras gentes que, por sua vez, também veem além da sombra da torre do templo. É por isso que a “prática do amor” (obras diaconais) acontecem sob um “guarda-chuva comum” articulado pela Igreja. É ali que se reflete a “diaconia” em níveis maiores. Juntos, sempre somos mais fortes; o testemunho se torna mais eficiente.

Na “diaconia” se aprende com o outro. Há que se ter sensibilidade e equilíbrio para lidar com outras pessoas. A Carta aos Romanos nos indica o caminho que nos leva até este dom. Martin Luther traduziu o Novo Testamento do Grego para o Alemão. Para ele a “diaconia” é “Amt” (profissão).

Em Romanos 12.7 se lê: “Ist jemand Diakonie gegeben, so übe er Diakonie.” As traduções mais modernas traduzem a palavra grega “diaconia” assim: “Se ministério (dom), dediquemo-nos ao ministério (dom)”. Quer dizer, se alguém tem o dom para “servir” a comunidade, esse alguém deve executar o serviço; fazer diaconia.

Na tradução da Bíblia na Linguagem de Hoje este verso soa assim: “Se tiverem o dom de prestar serviço a outros, então sirvam bem”. Resumindo, Paulo nos apresenta a palavra “diaconia” como “ajuda prática”; como “capacidade de fazer algo bom para outra pessoa”.

Sim, o apóstolo parte do pressuposto que nem todas as pessoas tenham este “dom” para “servir”. Para ele o “ato de amar” tem a ver com um padrão de vida que se expressa com a fé que se encorpa na vida de todas as pessoas cristãs. Agora, nem todas as pessoas cristãs tem o “dom da diaconia”. Vou publicar mais sobre o assunto...