Postagens

Mostrando postagens de Maio 14, 2012

ATUALIZAÇÃO TEOLÓGICA DE MINISTRAS E MINISTROS do SÍNODO NORTE CATARINENSE

Imagem
Era terça-feira, dia 08 de maio de 2012. Foi de repente que muitos de nós, ministras e ministros do Sínodo Norte Catarinense, estávamos sentados em círculo, numa das salas do Lar Filadélfia, em São Bento do Sul (SC). A fala da nossa assessora curitibana, graduada em Administração e pós-graduada em Psicologia Organizacional, Sra. Gudrun Schmidt , soava firme e, ao mesmo tempo, amorosa. Sua expressão corporal nos comunicava excelente conteúdo enquanto suas palavras nos deliciavam. Sim, queríamos nos fortalecer; experimentar valorização; buscar saídas para nossos estresses; trabalhar espírito de grupo; fortalecer laços... No semblante de todos se lia o desejo ardente de uma “recarga de baterias”. Tal desejo coletivo nos “catapultou” para dentro de uma interação impar. Se na Comunidade somos constantemente chamados a ajudar, ali, naquele lugar, poderíamos ser ajudados. Que sensação incrível aquela! Era hora de tentarmos andar devagar, sem pressa. Uns de nós refletíamos com o hemis

DIACONIA É "AMT" IV

Imagem
O papel da Igreja gira em torno da Diaconia . Quando Paulo se refere à “diaconia”, ele não tem em mente uma Secretaria, tal como a da Igreja Evangélica de Convfissão Luterana no Brasil - IECLB, na Rua Senhor dos Passos, 202, em Porto Alegre (RS).  Agora, mesmo que o nosso estilo de vida e as nossas formas de organização não se assemelhem aos do primeiro século, a mensagem básica permanece sendo a mesma: O “amor vivido” é quem determina a “potência de radiação” de nossa Igreja.  Sem missão a nossa “diaconia” é nada. Para se manter sob a proposta de Deus, a Igreja precisa da “diaconia” e a “diaconia” precisa da Igreja. Igreja sem “diaconia” é Igreja fria. “Diaconia” sem Igreja é algo vazio. É por isso que precisamos do “amor ação”; de um estilo de vida marcado pela fé e por uma   forma mais eficiente de organização para ajudar pessoas. É desse jeito que vamos conhecer o “amor” com o qual Jesus Cristo nos amou para, então, repassá-lo adiante. Creio que estejamos dando pas

DIACONIA É "AMT" III

Imagem
O cerne da “ diaconia ” tem a ver com o amor. O apóstolo Paulo ressalta que esse “amor diaconal” deve ser praticado “sem segundas intenções”. A luta em prol da busca pela “sinceridade do amor” é a idéia básica do Novo Testamento.  Hoje também importa a autenticidade deste “amor ação”. Quem pratica a “diaconia” expressa a “essencia do amor” a partir da “ação diaconal”. Paulo nos promove o aprendizado do que é o “amor autêntico”. Este amor se molda no encontro com o outro, enquanto se “pratica o acolhimento”.  Na “diaconia” ninguém se gaba dos trunfos. Nelas as pessoas tem prazer em honrar umas às outras (10b). O “amor” exclui a inércia. Quem ama se mostra animado e serve de forma “fervorosa” ao Senhor (v. 11b). O “amor” nunca está sozinho, mas sempre se faz acompanhar da esperança, da paciência e da espiritualidade.  O apóstolo nos desafia a alegrarmo-nos na esperança, a sermos pacientes na tribulação e perseverantes na oração (v. 12). É desta forma que ele nos orient