29.5.11

Firmes e Inabaláveis!


Essa foi minha prédica no dia 29 de maio de 2011. Logo após o Culto aconteceu a Assembléia da Paróquia São Mateus. Usei a prédica como meditação para o momento...

Gente querida! Eu, quase sempre, me encontro debaixo de “mau tempo”. São reuniões na CEJ-UP; são encontros no SNC; são os estudos bíblicos que preciso preparar; são as atas que preciso escrever; são as colunas de jornal que carecem ser elaboradas; são as rápidas passagens pelo supermercado para a compra de algo faltante; são as visitas hospitalares; são as celebrações de santa-ceia fora de hora; são as preocupações com a conta bancária; são as atenções de cuidado para esse ou aquele... Às vezes carrego a impressão que não vou mais conseguir respirar no meio desta “correnteza”. Avaliei-me e cheguei à conclusão que queria louvar Deus com meu ativismo. Foi então que, me preparando para este momento, li Coríntios 15.58: “Portanto, meus amados irmãos, sede firmes, inabaláveis e sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que, no Senhor, o vosso trabalho não é vão.”

Entendo que essa palavra seja perfeita para ser repartida neste Culto que antecede a nossa Assembléia Paroquial. Suspeito que este versículo bíblico também fale alto para vocês, dentro do correr-corre diário de cada uma; de cada um.

Conta-se que três trabalhadores cortavam pedras que serviriam para o alicerce de um templo. Um sujeito que passava perguntou: - O que é isso que vocês estão fazendo? O primeiro respondeu: - Estou cortando pedras. O segundo demorou um pouco a responder: - Estou ganhando R$30,00 por hora... O último levantou os olhos brilhantes, encarou o curioso e se saiu assim: - Estou construindo a Casa de Deus!

Todos nós trabalhamos com base em motivações diferenciadas. Uns têm prazer em fazer o que fazem; outros trabalham porque precisam do emprego; muitos dão de si porque querem ajudar a construir uma sociedade mais justa. Conheço pessoas que só querem se “colocar” no “mercado”. Já a cristandade investe do seu tempo onde for chamada porque leu na Bíblia que “o trabalho nunca é em vão”.

Muitos se queixam que seu esforço nunca dá em nada. Outro tanto se sente inútil porque não tem trabalho. Será que estes dois tipos de pessoas colocam o seu “coração na ponta dos dedos” quando se doam em prol de um objetivo? Será que foi o contexto que lhes oportunizou o costume do acomodamento?

Às vezes esse jeito de ser também é verdade dentro da Igreja. Quem nunca experimentou os sentimentos de desânimo? Eu já! Esses momentos acontecem nas horas mais incertas da nossa vida para tentar “assassinar” nossa disposição; nossa esperança; nossa alegria. Sim, eu conheço esse sentimento que volta e meia nos abate e nos leva a tentar “jogar a toalha” porque nada dá certo e ou porque nos sentimos “sugados” das energias e ou do dinamismo que faz parte de nós.

Coisa boa! A Bíblia diz que o “nosso trabalho não é em vão”! Nos momentos de exaustão, no meio do caos e do desgaste, poderemos não perceber nenhum sucesso nas coisas que fazemos, mas, mesmo assim, “o nosso trabalho não é em vão”. Esta palavra vale tanto para quem é bancário; construtor; médico; dona de casa ou presbítero da Paróquia São Mateus.

Se nosso falar; nosso pensar e nosso agir estiverem focados em Deus, então, Deus está conosco; orienta-nos; dá-nos forças; dá-nos resistência. Quando o Espírito de Deus encontra espaço em nós, então percebemos que o “espírito que Deus nos tem dado não é de covardia, mas de poder, de amor e de moderação.” (2 Timóteo 1.7) Sim, Deus nos presenteia com força, amor e prudência e é por isso que podemos “fincar o pé”. Estamos vivendo tempos difíceis; tempos de doença e desemprego? Nós também podemos louvar a Deus enquanto estamos recolhidos. Podemos louvar a Deus com o nosso trabalho, mas também com o nosso descanso.

Mesmo que algumas das nossas atividades sejam cansativas e sem graça; difíceis de serem avaliadas como “produtivas” e, aparentemente sem sentido: “No Senhor elas não são em vão”. Aliás, nada do que fizermos “no Senhor” é em vão. A bênção de Deus está lá onde se faz as “coisas” no Seu Santo Nome. Amém!